Entenda como funciona empréstimo bancário e tire suas dúvidas

como funciona empréstimo bancário
como funciona empréstimo bancário

Dados de uma pesquisa feita em 2018 pela Confederação Nacional de Dirigentes Logistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) mostraram que pouco mais de 2 entre cada 10 brasileiros já haviam feito um empréstimo nos 12 meses anteriores ao levantamento. Além disso, dentre os entrevistados que afirmaram ter feito um empréstimo, cada um deles declarou ter, em média, 2,3 empréstimos em seu nome.

Mas quem nunca teve que recorrer a um dinheiro extra por essas vias, deve ter dúvidas sobre como funciona empréstimo bancário. Por isso, vamos esclarecer os principais pontos para deixar claro como é feita a contratação desse tipo de crédito.

Como funciona um empréstimo bancário?

Um empréstimo bancário é uma operação de crédito em que uma instituição financeira concede determinada quantia em dinheiro ao cliente, que deverá pagá-la dentro do prazo estipulado e com o acréscimo de juros, conforme acordado no momento da contratação do serviço.

Essa diferença entre o valor emprestado e o efetivamente pago após o acréscimo das taxas é o que garante a remuneração e os lucros das instituições financeiras, que, normalmente, têm que captar esses recursos no mercado para, então, emprestá-los aos seus clientes.

As finalidades de um empréstimo podem ser inúmeras, dependendo da necessidade do cliente: ele poderá utilizá-lo para pagar dívidas, comprar produtos de valores mais elevados, solucionar emergências ou, até mesmo, para investir em um negócio próprio. Seja qual for a destinação do dinheiro, é importante que a contração do empréstimo aconteça de forma planejada e responsável.

Quais são os principais tipos de empréstimos bancários?

Na hora de contratar um empréstimo, o cliente provavelmente se deparará com uma série de opções, de acordo com o seu perfil. Cada uma delas apresenta suas especificidades, que devem ser observadas para garantir que o crédito cumpra sua função de maneira adequada. A seguir, indicamos os principais tipos de empréstimos bancários e o que caracteriza cada um deles.

Empréstimo Pessoal

O empréstimo pessoal é a modalidade de crédito mais comum e normalmente está disponível para todos os clientes que tenham conta em banco, mediante análise cadastral prévia. A outra opção é recorrer a financeiras que ofereçam o serviço.

A quantia liberada, o prazo de pagamento e os juros cobrados dependerão da sua capacidade de comprovação de renda e do seu histórico junto a instituição financeira e ao mercado de crédito. Por isso, ter o nome limpo e um bom score ajudam bastante na hora de ter sucesso na solicitação do empréstimo pessoal, ainda que existam empréstimos para negativados.

Após aprovação na análise de crédito, o dinheiro costuma ser depositado em pouco tempo (às vezes, em questão de horas). Por isso, ele se torna uma boa opção para os momentos de emergência. Além disso, dependendo das taxas de juros cobradas, os empréstimos pessoais também podem ser alternativas interessantes para trocar situações de envidamento com juros altos, como nos casos das dívidas com cartão de crédito.

Empréstimo com garantia

Para quem está a procura de juros mais baixos e tem um bem para oferecer à instituição, o empréstimo com garantia pode ser uma opção. Os juros mais em conta são decorrentes da garantia oferecida: diante do risco de perder o bem vinculado à contratação, a chance de calotes se tornam menores, em tese.

Entre os bens aceitos pelos bancos e financeiras que praticam essa modalidade de crédito, estão imóveis, veículos e joias. Normalmente, como condição para inclusão do bem como garantia, há a necessidade de ele estar quitado e em nome da pessoa que está solicitando o empréstimo.

Financiamento

Os financiamentos também podem ser descritos como uma forma de empréstimo. Contudo, neles, o uso do dinheiro não é livre e deve ser feito de acordo com aquilo que está previsto no contrato entre o cliente e a instituição financeira. Por isso, os financiamentos são comumente adotados como forma de adquirir bens de valores mais elevados, como imóveis e veículos.

Cheque especial

O cheque especial é, também, um tipo de empréstimo. Sua principal característica é o fato dele ser pré-aprovado pelo banco, que inclui um limite que pode ser utilizado pelo correntista a qualquer momento, sem burocracia.

Porém essa comodidade tem um custo: os juros do cheque especial estão entre os mais altos do mercado. Em setembro de 2019, a média cobrada era superior aos 300% ao ano. Logo esse tipo de crédito deve ser utilizado com extremo cuidado, sob o risco da dívida se transformar numa bola de neve.

Empréstimo Consignado

Diferente do cheque especial, o crédito consignado está entre as opções com menores juros do mercado. Nessa modalidade, a instituição financeira faz o desconto das parcelas diretamente do salário ou benefício do consumidor, o que garante o pagamento e reduz o risco de inadimplência, deixando os juros menores.

Para poder usufruir de um empréstimo consignado é necessário, na maioria dos casos, ser aposentado ou pensionista do INSS ou funcionário público. Como forma de não comprometer toda renda, as parcelas do empréstimo consignado não podem superar a fatia de 30% do salário ou benefício pago.

Onde conseguir um empréstimo bancário?

Boa parte do mercado de crédito do Brasil está concentrado entre os 5 grandes bancos: Banco do Brasil, Caixa, Santander, Bradesco e Itaú. Essas instituições competem entre si, e uma boa pesquisa entre elas pode significar uma economia significativa de juros.

As taxas cobradas são estipuladas de acordo com uma série de fatores, como os custos operacionais do banco, o risco daquele empréstimo e a situação da economia. No entanto, para ter uma dimensão exata do tamanho dos custos embutidos em um empréstimo, é necessário comparar o chamado custo efetivo total (conhecido como CET). Ele traz, em um único número, a soma dos juros e das demais taxas cobradas na operação.

Na disputa por cada cliente, financeiras e plataformas online procuram se destacar oferecendo crédito com juros mais em conta e redução da burocracia no processo, que em alguns casos pode ser feito remotamente e de forma mais ágil. Por isso, sempre vale pesquisar e fazer várias cotações antes de fechar negócio.

Agora que você sabe como funciona empréstimo bancário, fica mais fácil compreender em quais momentos contratar crédito é a melhor solução e como isso pode ser feito com condições mais favoráveis para o seu bolso, sempre com bom senso e planejamento, para que o dinheiro emprestado não se transforme em problema.

Que tal seguir a Youbo nas redes sociais? Estamos no Facebook, no Instagram e no Twitter.

11 Shares:
Talvez goste