Conheça as regras e saiba como fazer financiamento de moto

como fazer financiamento de moto
como fazer financiamento de moto

Cada vez mais pessoas buscam contar com a praticidade, a agilidade e a economia das motos para o seu dia a dia, seja em deslocamentos a trabalho, seja a passeio. Todavia, nem sempre é possível investir nesse tipo de veículo por meio de um pagamento à vista. É nessa hora que se costuma recorrer aos financiamentos.

Mas você sabe como fazer financiamento de moto? Se a resposta for negativa, não precisa se preocupar. Neste post, vamos explicar como funciona o crédito para esse tipo de veículo, quais os critérios utilizados para a análise e o que deve ser observado para fazer um bom negócio. Interessado em saber mais sobre o assunto? Então, prossiga com a leitura e solucione suas dúvidas.

Como funciona o crédito para financiamento de moto?

Em linhas gerais, financiar uma moto não é muito diferente de como financiar um carro: nas modalidades mais comuns de crédito direto ao consumidor (também conhecido como CDC), o banco ou a instituição financeira escolhida concederá um empréstimo ao cliente para que o veículo seja adquirido.

A partir disso, é necessário pagar as parcelas até o final. O valor delas é resultado do montante concedido, mais as taxas cobradas dividido pelo prazo do financiamento. Não é uma regra, mas normalmente um financiamento de moto costuma se estender por períodos que variam entre 48 e 72 meses.

Consórcio

Os financiamentos não são a única maneira de comprar uma moto ou um carro quando não é possível fazer isso à vista. Entre as outras formas de aquisição muito procuradas pelos consumidores, estão os consórcios. Eles, na prática, não são uma forma de crédito e assemelham-se mais a uma forma de poupança programada.

Sob supervisão de uma administradora, um grupo de interessados em adquirir o mesmo produto (no caso, motocicletas) faz pagamentos mensais que formarão a poupança necessária para que, um a um, todos comprem seus bens.

Embora não conte com juros, os consórcios cobram taxas de administração e exigem tempo, o que não acontece nos financiamentos, nos quais, após a análise, é possível sair com as chaves na mão em questão de dias. Logo, a escolha de consórcio ou financiamento de carro e moto passa por uma análise cuidadosa das necessidades do consumidor.

Quais os critérios mais utilizados na análise de crédito de um financiamento de motos?

O primeiro passo para fazer um financiamento de moto é procurar o banco ou instituição financeira da sua preferência que faça esse tipo de operação. A partir disso, é preciso se informar sobre qual a documentação solicitada e entregá-la.

Com essa documentação em mãos, a empresa que concederá o financiamento fará a análise de crédito, um dos estágios mais importantes para a liberação da compra da moto. A seguir, listamos e explicamos os critérios utilizados frequentemente nesse processo.

Consulta da situação do CPF

Em um primeiro momento, a situação do CPF de quem solicita o financiamento é essencial para o prosseguimento ou não da análise da solicitação. Com isso, quem tem pendências em seu nome e teve ele incluído nos serviços de proteção ao crédito dificilmente conseguirá a aprovação.

Isso acontece por um motivo simples: as empresas percebem que, se a pessoa está com o nome negativado, as chances de ela não honrar a dívida assumida são maiores. Então, como forma de prevenir o risco, o empréstimo é bloqueado.

Score

Todavia, mesmo pessoas com o nome “limpo” podem ser barradas na análise de crédito de um financiamento de moto. Na maioria das vezes, isso acontece pelo baixo número do score de quem faz a solicitação.

O score é uma escala numérica que, por meio da atribuição de uma pontuação individual, dimensiona a qualidade da relação do consumidor com o mercado financeiro. O score é obtido por meio do registro de pagamentos e pedidos de crédito por parte do consumidor.

À medida que esses débitos vão ou não sendo pagos na data correta, um padrão de comportamento é traçado, o que torna possível saber quais as chances daquele consumidor não pagar seus débitos no futuro. O score vai de 0 a 1.000, e, quanto mais próximo da nota máxima, menor o risco de calote.

Comprovação de renda

A análise de renda não envolve demonstrar apenas que quem vai solicitar o financiamento tem uma fonte de rendimentos constante e poderá assim honrar os pagamentos. Junto a isso, é feita também uma avaliação sobre o nível de comprometimento da renda.

Funciona assim: para saber se a parcela do financiamento é compatível com a capacidade de pagamento, a instituição financeira calcula qual a porcentagem da renda está comprometida por outras obrigações e qual seria o impacto do novo financiamento nesse índice. Considera-se como saudável um comprometimento com a parcela dos financiamentos que gire em torno dos 30%.

Documentação da moto

Por fim, é importante que a documentação da moto esteja em dia. Não é raro que motos usadas tenham pendências que impedem a aprovação do financiamento. Logo, faça a consulta do Detran da sua região para saber se o modelo escolhido não tem nada em aberto.

Como fazer um bom financiamento de motos?

Agora que você conhece todo o processo de análise necessário para a concessão de um financiamento, veja dicas para fazer um bom negócio a realizar o sonho de ter sua moto na garagem.

Quite as dívidas

Não faz muito sentido entrar em um financiamento com as contas desorganizadas e as dívidas batendo à porta. Por isso, antes de cogitar essa possibilidade, faça um saneamento nas despesas, quite todas as suas pendências e, assim, abra espaço para o novo compromisso.

Faça uma reserva financeira

A organização financeira deve prever a formação de uma reserva financeira. Ela será valiosa durante imprevistos e permitirá que o pagamento das parcelas do financiamento não seja interrompido nos momentos de aperto.

Pesquise propostas alternativas

A competição entre instituições financeiras faz com que o consumidor possa aproveitar condições mais vantajosas na hora de buscar um financiamento. Por isso, não feche negócio sem antes fazer uma boa pesquisa. Nesses momentos, a dica é comparar não apenas as taxas de juros e o prazo do financiamento e sim o chamado Custo Efetivo Total, que indica o tamanho de todas as cobranças relativas a essa operação.

Dê uma boa entrada

Planeje-se para dar um bom valor de entrada na hora de fazer o seu financiamento de moto. Isso faz com a duração e o tamanho das parcelas sejam reduzidos, além de aumentar as chances de aprovação da sua solicitação.

Agora que você sabe como fazer financiamento de moto, qual tal conhecer uma excelente alternativa para concretizar seu desejo? A Youbo Serviços Financeiros é uma plataforma online que disponibiliza diversas soluções para quem está à procura de um veículo com as melhores condições do mercado, de forma prática e segura.

Quer comprovar? Então, acesse nosso site e faça uma simulação agora mesmo.

3 Shares:
Talves goste