Entenda como funciona o empréstimo com imóvel como garantia

empréstimo com imóvel como garantia
empréstimo com imóvel como garantia

O carnaval passou e finalmente 2020 está começando. Agora não tem mais desculpas para não iniciar aquele projeto que você colocou na listinha de metas para o ano novo, não é mesmo? Talvez você até já esteja pensando em numa nova justificativa, como a falta de dinheiro. Isso, porque você ainda não conhece o empréstimo com imóvel como garantia.

Então se prepare, pois eu montei este post para contar tudo sobre esse tipo de empréstimo: como funciona, qual é o processo para contratar esse produto, quais os cuidados você deve tomar, além das vantagens dessa modalidade. Quer descobrir se esse empréstimo pode ser o fim das suas desculpas? Então venha comigo!

Empréstimo com imóvel como garantia: como funciona?

Imagine que você foi ao banco pedir um empréstimo pessoal, mas a sua renda não é compatível com o valor que gostaria de tomar emprestado, e eles acabaram negando o benefício. É justamente nesses casos que os empréstimos com imóvel em garantia, também conhecidos como refinanciamento de imóvel, são uma boa opção, pois a propriedade é uma segurança de que você pagará a dívida.

Basicamente, é como se você fizesse a seguinte proposta ao banco: tomar determinado montante emprestado para ser pago em uma quantidade de parcelas e juros preestabelecidos e, em troca, você se compromete a deixar o seu imóvel à disposição da empresa, pois, se por algum motivo deixar de pagar o empréstimo, ela está autorizado a tomar a casa e quitar a dívida.

Como contratar esse tipo de empréstimo?

Assim como o empréstimo pessoal essa modalidade apresenta determinados requisitos que tanto o requerente quanto o imóvel precisam cumprir para que a transação seja autorizada. Veja, a seguir, quais são condições e as regras para contratar esse serviço.

Quem pode solicitar o empréstimo com imóvel em garantia?

Essa é uma modalidade para pessoas físicas que possuam algum tipo de imóvel em seu nome. Ao fazer a solicitação do empréstimo a titularidade do imóvel deverá ser comprovada, bem como a renda do solicitante. Essa última comprovação é necessária para certificar ao banco de que os rendimentos do indivíduo são compatíveis com o valor da propriedade em seu nome e que não é apenas uma tentativa de burlar as regras do empréstimo.

Quais são as etapas para contratação?

A seguir, montei uma listinha com as etapas da contratação dessa madalidade de crédito explicadas. Veja:

  • simulação e solicitação: a primeira coisa a ser feita é buscar por empresas de confiança e fazer a simulação do empréstimo para encontrar o banco que apresenta as melhores condições. Em seguida é feita a solicitação do serviço. Hoje, já existem diversas empresas que fazem esse processo totalmente online basta preencher alguns dados;
  • análise de crédito: as informações fornecidas anteriormente serão analisadas pela empresa. Eles também vão checar a sua situação financeira junto às intuições de monitoramento de crédito — SPC e Serasa —, analisar o seu score Serasa, a sua renda e o montante que está sendo solicitado. Diante dessas informações o banco vai verificar se você é um bom candidato e se tem condições de arcar com as parcelas do empréstimo;
  • avaliação do imóvel: nessa fase são avaliados todos os documentos da propriedade, entre eles, a Certidão de Matrícula do Imóvel, capa do IPTU e a Certidão Negativa de Tributos Imobiliários. Além da análise desses documentos a empresa credora determina um profissional para avaliar o local. Os critérios dessa avaliação podem variar de um banco para outro, mas em geral é levado em conta a idade da propriedade, a metragem, a localização, o valor mínimo da casa e a finalidade do imóvel;
  • contrato: se toda a documentação estiver dentro do exigido e os valores de renda compatíveis, então é feito o contrato, também conhecido como Cédula de Crédito Bancário. Nesse documento estão todas as regras do empréstimo. Após a assinatura do contrato o crédito é liberado à vista para você.

Quais são as formas de pagamento?

Diferentemente do que acontece com outras modalidades de empréstimo, no refinanciamento imobiliário o prazo para quitar a dívida varia de 36 a 180 meses e o valor das parcelas diminue com o tempo. Isso acontece porque o banco tem a garantia da propriedade, logo não há um risco de inadimplência tão grande quanto em um empréstimo comum.

Atenção! O que você deve saber antes de escolher essa modalidade de empréstimo?

É claro que todo tipo de transação que envolve um bem material de valor tem riscos, e eles se tornam ainda maiores quando você não está ciente de todos os detalhes dessa operação. Por isso, selecionei alguns pontos a que você deve estar atento antes e durante a contratação desse serviço.

Valor que pode ser refinanciado

Como mecanismo para evitar a inadimplência, apenas 60% do valor do imóvel pode ser refinanciado. Não importa qual seja o valor total do bem. Vale lembrar que 60% é o valor máximo. Dependendo da instituição o valor concedido pode ficar entre 40% e 50% do valor da propriedade.

Como se trata de imóveis, mesmo que o montante concedido seja o equivalente a parte do preço total da propriedade, ainda assim é um valor alto. A minha dica é: use esse tipo de empréstimo para grandes investimentos, como começar um negócio, adquirir um novo imóvel ou um bem de alto valor. Pense que você pagará por esse empréstimo por no mínimo 3 anos.

A casa será propriedade do banco

Esta é a grande diferença entre a hipoteca e o refinanciamento. No primeiro caso o imóvel continua sendo propriedade do indivíduo, já no empréstimo com imóvel em garantia a instituição tem propriedade indireta do bem. Assim, caso você decida vender o imóvel durante o pagamento do empréstimo o comprador precisa saber que parte do valor vai direto para o banco para quitar a dívida.

A instituição financeira pode leiloar o imóvel

No tópico acima eu disse que o banco ou empresa passa a ser dono indireto da casa. Isso dá a ele o direito de levar a propriedade a leilão em caso de não pagamento das parcelas. Algumas empresas já dão início a esse processo a partir do terceiro mês de atraso. Por isso, fique atento e não perca o prazo de vencimento das prestações.

Quais as vantagens do refinanciamento de imóveis

Ao tomar um empréstimo você precisa avaliar se ele realmente se encaixa nas suas necessidades. Veja, a seguir as principais vantagens dessa modalidade de refinanciamento.

Juros mais baixos

Os juros que incidem sobre um empréstimo são calculados levando em consideração alguns fatores, como o lucro sobre a transação e o risco de inadimplência. No caso do refinanciamento de imóvel a empresa tem a propriedade como garantia, por esse motivo os juros caem consideravelmente.

Pode utilizar o imóvel durante o contrato

Sim, enquanto você paga as parcelas do empréstimo você pode continuar usufruindo da propriedade normalmente, inclusive, é possível alugar e até vender. Nesse último caso, é preciso estar atento para a regra de venda de imóveis em refinanciamento citada acima.

Processo online

Com tanta tecnologia no mundo os bancos e empresas financeiras não poderiam ficar para trás, não é mesmo? Aqui na Youbo temos a missão de descomplicar a sua vida. Por isso, todo nosso processo é online, ou seja, basta fazer a solicitação e encaminhar os seus documentos, que rapidinho a gente analisa envia uma resposta. Tudo muito prático e rápido.

No post de hoje vimos tudo sobre o empréstimo com imóvel como garantia, o que é, como funciona, as regras para contratar, os cuidados que devem ser tomados e, claro, as vantagens. Agora eu tenho certeza que com todas essas informações aquela lista de planos para o ano novo vai sair do papel e na Youbo temos um time pronto para ajudar nessa missão!

Quer saber como? Faça agora mesmo a simulação do seu empréstimo!

1 Shares:
Talvez goste