Não é raro ouvirmos falar sobre um golpe com cartão de crédito ou débito. Uma pequena pesquisa já nos coloca diante de uma série de reportagens, artigos e atualizações sobre o assunto, sem falar nas notícias que volta e meia aparecem nos jornais. Foi pensando em evitar esse risco que preparei o post de hoje para você!

Em 2018 o site O Globo publicou uma matéria informando que, só pela internet, ocorrem cerca de 3,6 fraudes com cartão de crédito por minuto. De acordo com a reportagem, entre Janeiro e Agosto do mesmo ano foram detectados 920 mil golpes online, com o objetivo de adquirir informações para a clonagem de cartões. Já em 2019, o mesmo site informou que, em 12 meses, 8,9 milhões de brasileiros foram vítimas de fraudes, sendo a clonagem a mais comum entre elas.

Os perigos, no entanto, não estão apenas na internet e não se resumem a ter o cartão clonado: são vários os tipos de golpes e os locais onde eles podem ocorrer. Se você quer saber mais sobre esse assunto e conferir dicas de como se proteger, continue a leitura!

1. Como os golpes acontecem? 

Os golpes podem ocorrer de diferentes formas, que muitas vezes nem mesmo imaginamos. A maioria deles é muito bem arquitetada e, por isso, é ainda mais importante ficar atento. Mantenha-se atualizado e informado sobre esse assunto para evitar prejuízos, ok? 

A seguir, vou citar algumas das fraudes mais comuns atualmente. Confira!

Valor errado ou dupla operação

Para esse golpe, o criminoso pode fingir que o cartão não passou e alegar algum problema na maquininha. Ele, então, pega uma outra máquina e cobra novamente o mesmo valor (ou até um valor maior). 

Sem estar ciente sobre esse risco, você provavelmente só vai perceber seu prejuízo mais tarde, ao conferir seu extrato. Para evitar esse problema, sempre peça o recibo para verificar se a operação foi realizada corretamente. Você sempre pode pedir para cancelá-la imediatamente, caso algo tenha dado errado.

Falsa central

Nesse golpe, o criminoso faz uma ligação telefônica e afirma ser da central antifraude do banco. Ele pede informações confidenciais (talvez até a sua senha) e, com elas, consegue alterar os bloqueios de segurança utilizados pelo banco, podendo até mesmo esvaziar a sua conta bancária. 

Esse golpe pode utilizar recursos tecnológicos, como menus iguais ao do banco e gravações, entre outros meios para transmitir confiança. Assim, fique atento e lembre-se que, na realidade, um verdadeiro banco nunca vai telefonar pedindo informações confidenciais. Desligue o telefone e avise ao seu gerente.

Clonagem

A clonagem de cartões de crédito ou débito pode ocorrer de diferentes formas, como ao colocar os dados do cartão ao fazer uma compra na internet ou clicando em um link falso. Além disso, já existem outros recursos que facilitam esses crimes, como os chamados malwares, que invadem os sistemas para roubar informações. Falarei mais a frente sobre como se prevenir quanto a isso.

A clonagem também pode ocorrer presencialmente. Em uma loja, por exemplo, o vendedor pode se aproveitar de um momento de distração ou, de alguma forma, tirar o cartão da sua vista, para fotografá-lo e registrar seus dados e códigos. Isso já é suficiente para que ele seja clonado, então é importante ter atenção.

Falso motoboy

Esse crime se inicia com uma ligação de alguém que se passa por um funcionário do seu banco. É informado que o cartão foi clonado e que você precisará de um novo. Em muitos casos, é pedido até mesmo que você quebre o cartão ou solicite outro pelo atendimento eletrônico, que também está presente na ligação. O falso banco avisa, então, que um motoboy pode buscar o suposto cartão clonado.

Acontece que, mesmo quando se quebra o cartão ao meio, seu chip permanece intacto e continua sendo possível realizar transações. O falso motoboy pode se apresentar muito bem vestido ou até com o uniforme e um crachá com o nome de um funcionário real do seu banco, além de levar um papel timbrado da agência para ser assinado. Todos esses detalhes, entre outros, visam passar credibilidade.

Lembre-se de que nenhum banco solicita a devolução ou a retirada do cartão. Portanto, mais uma vez, desligue o telefone e avise a sua agência imediatamente. Vale lembrar, também, que nunca se deve passar o seu endereço nessas ligações.

Troca de cartões

Esse crime ocorre geralmente na hora de passar o cartão na maquininha. O criminoso se aproveita de um momento de distração ou mesmo se vale de algum truque que desvie a atenção do consumidor. 

Nessas situações, existem duas ocorrências mais comuns: o vendedor te faz digitar a senha no campo de valor, onde os números ficam expostos ao invés de serem cobertos por asteriscos, de modo que ele possa roubá-los; ou o seu cartão é trocado, sem que você perceba, por um similar do mesmo banco. 

Essas situações também costumam ser realizadas juntas e, normalmente, o consumidor só percebe o ocorrido ao tentar fazer uma outra compra ou conferir o seu extrato. Vou explicar como evitar esse risco mais a frente.

Troca de cartão no caixa automático

Nesse crime, enquanto a vítima utiliza o caixa eletrônico uma pessoa se aproxima e oferece ajuda. Ela observa você digitar a sua senha e troca o seu cartão sem ser percebida. Essa é uma situação muito comum e pode gerar um grande prejuízo, pois até o crime ser descoberto já podem ter sido realizados vários saques e compras com o seu nome.

Para evitar esse problema, nunca aceite a ajuda de um desconhecido nesses momentos e nunca forneça a sua senha. Se precisar de auxílio, chame um funcionário registrado e, em caso de dúvidas, você também pode chamar o gerente. Mesmo que ninguém se ofereça para o auxiliar, ao utilizar o caixa fique sempre atento para evitar que a sua senha e dados sejam vistos. 

Golpes com páginas, e-mails e SMS

Os golpes que utilizam meios virtuais e eletrônicos são muito comuns e diversificados. Eles podem vir na forma de emails falsos, falsos links, sites e páginas, SMS e até mesmo aplicativos. Desconfie de ofertas tentadoras, promoções e prêmios que mandam você acessar um anexo, um link, uma página ou pedem para entrar em contato, por exemplo.

Os endereços para os quais você é direcionado parecem ser bem confiáveis, muitas vezes contendo o mesmo estilo dos sites originais e até mesmo seus selos. Isso faz com que a pessoa se sinta segura para inserir dados confidenciais, que os criminosos pegam para realizar transações, desbloquear cartões, burlar bloqueios de segurança e confirmar dados.

Nunca acesse links ou anexos de mensagens e e-mails suspeitos. Confira sempre se o endereço da página é o correto e, além disso, mantenha seu antivírus e seu sistema operacional atualizados. Isso vale para smartphones, notebooks, tablets e demais aparelhos.

Golpes com aplicativos

Os golpes por aplicativos também são comuns e podem ocorrer de diferentes formas. Em uma delas, por exemplo, a vítima recebe um email com um link que, ao ser clicado, instala um vírus no seu dispositivo, permitindo que os criminosos tenham acesso a ele. Assim, eles conseguem acessar os seus dados bancários e realizar transações. 

Para evitar esse golpe é importante, como no exemplo anterior, manter seu sistema operacional e seu antivírus atualizados, além de desconfiar e não clicar em links suspeitos.

Chupa cabra

O golpe do chupa cabra é um dos mais antigos, porém ainda é muito realizado. Nele, é utilizado um equipamento acoplado ao caixa eletrônico, que trava a retirada do cartão e facilita a cópia de informações. Assim, seu cartão pode, inclusive, ser clonado.

O chupa cabra atualmente também é utilizado para adquirir informações de cartões com chip e roubar a senha dos usuários. Para evitar esse risco, busque usar os caixas eletrônicos em horário comercial, em agências com maior segurança e menor fluxo de pessoas. Um cartão com chip também pode ser mais seguro, apesar de também estar suscetível ao crime.

Outros crimes com cartão de crédito e débito podem até ir além. Em alguns casos, ao conseguir os seus dados o criminoso pode se passar por você e bloquear a sua linha telefônica, utilizando documentos falsos para solicitar um novo chip, por exemplo. Assim, a vítima não recebe alertas das transações financeiras em seu nome. Um indício dessa situação é quando a sua linha ou seu telefone para de funcionar repentinamente. É essencial ter atenção para evitar esses riscos.

2. Quando os golpes mais acontecem? 

Os golpes com cartões de crédito e débito podem ocorrer em qualquer época do ano e em diferentes horários e contextos. No entanto, existem algumas épocas em que esse risco é aumentado e, portanto, é importante ter a atenção redobrada.

As datas comemorativas, como o Carnaval, são mais propícias a esses acontecimentos. Os criminosos se aproveitam da grande quantidade de pessoas e da sua distração para aplicarem os golpes. O mesmo pode ser esperado da época de festas de fim de ano, entre outras que têm grande movimentação e falta de atenção do público, que se encontra agitado com suas compras e comemorações.

Além disso, outras datas propensas são os dias de pagamento e de FGTS. Os criminosos sabem que há grande movimentação e que as contas bancárias estão mais cheias, dando-lhes motivos a mais para atuarem. Fique ainda mais atento nessas ocasiões, mas nunca deixe de ser cuidadoso com seu cartão.

3. Quais são as pessoas mais visadas pelos golpistas? 

Antes de qualquer coisa, é importante reforçar que todos podemos passar por esse tipo de golpe. Apesar de existirem públicos mais visados nessas situações, ninguém está totalmente seguro, se não forem tomados os cuidados necessários. Mesmo assim, vale a pena comentar sobre os alvos mais frequentes.

Pessoas que compram pela internet podem estar bem suscetíveis, pois os criminosos fazem uso de ferramentas tecnológicas para roubar seus dados. Algumas medidas para se prevenir serão abordadas no próximo tópico. 

Os idosos também são um público que costuma ser bem visado, sendo essencial mantê-los informados sobre os crimes existentes, as formas como podem ocorrer e como eles podem se proteger. Esses são apenas alguns exemplos. Na dúvida, alerte a seus amigos e familiares sobre esse risco.

4. Como se prevenir contra os golpes? 

Esses crimes podem ocorrer de diversas maneiras e, portanto, existem diferentes formas de se prevenir. Algumas delas já foram tratadas anteriormente, quando abordei os exemplos de golpes. Para proteger você ainda mais, preparei uma lista com outras das atitudes e cuidados essenciais. Fique atento:

  • dê prioridade aos cartões com mais quesitos de segurança, como chips além da assinatura;
  • verifique se os sites de compras são confiáveis e se apresentam selos de segurança;
  • sempre peça e confira o recibo, para comprovar os valores que você pagou; 
  • acompanhe o seu extrato frequentemente, para ver todos os gastos e despesas. Assim, caso algo indevido aconteça, você verá mais rapidamente e poderá tomar providências;
  • mantenha o controle da fatura, registrando as compras, os saques e seus valores. Isso também facilita a percepção de ações indevidas em seu nome, além de ser importante para o controle financeiro;
  • verifique o campo da maquininha, conferindo se realmente é o local certo para digitar sua senha;
  • utilize recursos que confirmem operações, como SMS e emails que avisam que o cartão foi utilizado;
  • proteja o código de segurança do cartão. Você pode tapá-lo com uma pequena etiqueta adesiva e, quando precisar, é só tirar e olhar;
  • mantenha seu cadastro atualizado na instituição financeira e peça para ser avisado sobre qualquer movimentação estranha na sua conta. Para isso, é interessante verificar se o seu banco tem uma área e segurança que acompanha a utilização do cartão;
  • mantenha seus dispositivos eletrônicos com antivírus, anti-spam e sistema operacional atualizados;
  • utilize cartão virtual, que vale apenas para uma operação, para compras online, mas sempre se certifique de que está usando um cartão seguro;
  • desconfie de solicitações de senha ou código de segurança por telefone, mensagem ou email. As instituições financeiras nunca farão esse tipo de coisa, então nunca passe as informações;
  • desconfie de ofertas e promoções com preços muito abaixo do mercado;
  • nunca passe senha, código de segurança ou outros dados do cartão para outras pessoas;
  • não tire cópia de cartão; 
  • não mande fotos do seu cartão;
  • não clique em links suspeitos de e-mail ou redes sociais;
  • não tire a mão nem os olhos do cartão enquanto ele é passado na maquininha. Cuidado para não se distrair;
  • não utilize seu cartão em redes abertas de Wi-Fi;
  • não entregue seus cartões, nem se estiverem bloqueados ou inutilizados;
  • saiba que as instituições financeiras nunca solicitam a retirada ou a devolução dos cartões;
  • saiba como se desfazer de cartões: destrua o chip, em vez de apenas quebrá-los, por exemplo;
  • verifique a lista de sites não recomendados pelo Procon do seu estado e verifique se outros consumidores já tiveram problemas ou fizeram denúncias.

5. O que fazer caso você caia nesse golpe?

Caso você seja vítima de algum golpe com cartão de crédito, é importante tomar algumas medidas. Confira as dicas abaixo!

Entre em contato com o seu banco

Se você desconfia que sofreu um golpe, entre em contato com o banco e peça que o cartão seja bloqueado. Em alguns casos, eles podem pedir que você entre em contato diretamente com a administradora do cartão. Você terá que solicitar outro e também trocar sua senha. Guarde sempre o número do protocolo desses atendimentos. 

Faça registro na delegacia

Procurar a delegacia é um passo muito importante, e também é recomendável registrar um Boletim de Ocorrência (BO), apesar de não ser uma obrigação. Isso é importante para você ter acesso aos seus direitos posteriormente. 

Descreva, com o máximo de detalhes possível, tudo o que aconteceu desde que você percebeu o golpe e as operações realizadas pelos golpistas em seu nome (como compras, empréstimos, pagamentos e saques), além das datas em que elas foram feitas. Isso pode ser conferido no seu extrato ou na sua fatura.

Em casos de perdas, roubos e furtos, além de registrar o BO, também é importante alertar as empresas via SPC. No caso de perda de cartão é importante lembrar que a responsabilidade é do cliente, mas, ainda assim, é fundamental seguir os passos anteriores para evitar maiores problemas.

6. Quais são os prejuízos que esses golpes trazem? 

Os golpes com cartões de crédito e débito podem acarretar prejuízos financeiros muito elevados. Em certos casos, é possível conseguir o dinheiro de volta, o que normalmente é resolvido pelo Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC) do seu banco. 

Em algumas situações, porém, a instituição se recusa a pagar. Isso acontece, por exemplo, quando há distração ou responsabilidade do cliente, como na perda ou na troca de cartões. 

Caso o banco não resolva o seu problema, é importante procurar o Procon do seu estado, o Banco Central ou entrar com uma ação no Juizado Especial Cível (JEC). É sempre importante se informar sobre os seus direitos para saber como agir. Para evitar ficar com o nome sujo, você pode pedir ao banco para quitar apenas os gastos que você fez. 

Como podemos ver, além de prejuízos financeiros, esses golpes também trazem muita dor de cabeça, sendo essencial se proteger. Prevenir-se contra os golpes como a clonagem de cartão de crédito, entre outros, é tão importante quanto se prevenir contra golpes de carro e cuidar para não ter o seu veículo roubado, por exemplo.

Espero que tenha gostado deste guia sobre o golpe com cartão de crédito. Não deixe de compartilhá-lo em suas redes sociais para também prevenir os seus amigos e parentes! 

12 Shares:
Talvez goste
Score
Mais

Como Aumentar o Meu Score

Vários brasileiros buscam bancos na esperança de ter aquele empréstimo para quitar débitos que possuem. Quem deseja ser aprovado, deve ter um ótimo score!